Avanços no tratamento de doenças reumáticas garantem maior qualidade de vida aos pacientes

As doenças reumáticas englobam um conjunto de mais de 100 enfermidades que comprometem o sistema locomotor. Entre as mais prevalentes desse grupo estão a artrose, a fibromialgia e a artrite reumatoide. Embora a maioria dessas doenças não tenha cura, a evolução dos tratamentos tem permitido que uma parcela cada vez maior dos pacientes acometidos por elas possa levar uma vida normal e sem dores, minimizando o risco de incapacidade física. Para falar sobre o tema, o Grupo Leforte convidou a Dra. Jaqueline Barros Lopes, que é médica reumatologista e coordenadora de reumatologia do Hospital Leforte Morumbi.

 

DOENÇAS REUMÁTICAS – o que são doenças reumáticas?

DRA. JAQUELINE BARROS LOPES – também conhecidas como reumatismo, são doenças que acometem estruturas do aparelho locomotor, ou seja, articulações, ossos, cartilagens, músculos, tendões e ligamentos. Algumas doenças reumáticas podem acometer ainda outros órgãos, como rins, coração, pulmões, olhos, pele e até o intestino.

 

DOENÇAS REUMÁTICAS – poderia citar algumas doenças mais frequentes que fazem parte desse grupo e explicar brevemente o que cada uma delas é?

DRA. JAQUELINE BARROS LOPES – existe uma centena de doenças reumáticas, as mais comuns são:

  • Osteoartrite, popularmente conhecida como artrose;
  • Osteoporose;
  • Fibromialgia;
  • Gota;
  • Febre reumática;
  • Artrite reumatoide.

 

Outras são menos comuns, porém não menos importantes como:

  • Lúpus;
  • Espondilite anquilosante;
  • Artrite psoriásica;
  • Síndrome de Sjögren;

 

Cada uma dessas doenças tem características específicas. Porém, de uma forma didática, algumas podem ser incluídas em dois grandes grupos:

  • Artropatias inflamatórias – aquelas que inflamam as articulações sem acometimento do colágeno, como artrite reumatoide, espondilite anquilosante, artrite psoriásica;
  • Colagenoses – aquelas com alterações do colágeno, como o lúpus, a síndrome de Sjögren e a esclerodermia.

 

DOENÇAS REUMÁTICAS – quais são as causas dessas doenças?

DRA. JAQUELINE BARROS LOPES – muitas doenças reumáticas não têm causa conhecida. Sabe-se que existe uma predisposição genética, mas o que realmente desencadeia a doença muitas vezes não pode ser identificado. Alguns vírus e bactérias podem desencadear um desequilíbrio no sistema imunológico e ser o gatilho.

 

Nesse sentido, a febre reumática talvez seja uma das poucas com uma causa bem definida, ela sempre ocorre após uma amigdalite estreptocócica (infecção da garganta pela bactéria estreptococo) na infância ou adolescência, quando o sistema imune ainda não está completamente desenvolvido. Outros fatores como o tabagismo (ativo ou passivo) e a exposição a poluentes como sílica podem ser desencadeantes.

 

DOENÇAS REUMÁTICAS – e quais são os fatores de risco?

DRA. JAQUELINE BARROS LOPES – os fatores de risco são:

  • Sedentarismo;
  • Obesidade;
  • Alimentação inadequada;
  • Alcoolismo;

 

DOENÇAS REUMÁTICAS – o tratamento de doenças reumáticas é de longa duração, ainda não se pode falar em cura?

DRA. JAQUELINE BARROS LOPES – boa parte das doenças reumáticas é crônica e não tem cura. O tratamento visa o controle dos sintomas e evitar sequelas.

 

DOENÇAS REUMÁTICAS – quais foram os principais avanços nos tratamentos, o paciente com doença reumatológica pode ter uma melhor qualidade de vida?

DRA. JAQUELINE BARROS LOPES – em 1950, a descoberta da cortisona foi um fato considerado marcante. Mas hoje, com os avanços tecnológicos, foi possível identificar várias citocinas envolvidas no desencadeamento das doenças reumáticas. Assim, o uso da cortisona está cada vez menor e os tratamentos têm sido direcionados para combater de forma seletiva e específica essas moléculas. Os imunobiológicos e medicamentos sintéticos, como os anti-JAK, são exemplos desses tratamentos e, sem dúvida, revolucionaram o manejo das doenças reumatológicas autoimunes e melhoraram a qualidade de vida dos pacientes por elas acometidos.

 

DOENÇAS REUMÁTICAS – quais são os principais tratamentos disponíveis atualmente para as doenças que a senhora citou?

DRA. JAQUELINE BARROS LOPES – cada doença tem um tratamento específico. Enquanto algumas podem ser controladas com anti-inflamatórios não hormonais (AINH), outras necessitam de medicações imunossupressoras ou imunomoduladoras, que reduzem ou regulam a atuação do sistema imunológico.

 

DOENÇAS REUMÁTICAS – existe algum novo tratamento para doenças reumáticas que está sendo desenvolvido? O que se pode esperar para o futuro?

DRA. JAQUELINE BARROS LOPES – sim, a cada dia é descoberta uma nova molécula envolvida no desenvolvimento das doenças reumáticas e novos tratamentos são testados. Os avanços tecnológicos continuarão tendo grande impacto no futuro da reumatologia. A evolução de tecnologias de diagnóstico e monitoramento oferecerão a possibilidade de antecipação de possíveis casos e até de medidas de prevenção para algumas doenças. Para aqueles que já desenvolveram a doença, a biotecnologia continuará dando suporte para a obtenção de medicamentos-alvo capazes de controlar a doença de forma segura e efetiva, evitando sequelas.

 

DOENÇAS REUMÁTICAS – terapias complementares são importantes nos tratamentos de doenças reumáticas?

DRA. JAQUELINE BARROS LOPES – sim. Em muitos quadros de doença reumatológica, terapias complementares são adicionadas para potencializar o tratamento. Como os desafios de conviver com uma doença reumatológica aumentam o risco de depressão, ansiedade e baixa autoestima, a inclusão de uma terapia complementar pode ainda auxiliar no conforto emocional, melhorando a qualidade de vida, a adesão ao tratamento e a aceitação da doença. São exemplos de terapias complementares utilizadas com esses fins acupuntura, atividade física supervisionada e ioga, entre outras.

 

DOENÇAS REUMÁTICAS – existem medidas que ajudem a diminuir o risco de desenvolver doenças reumáticas ou diminuir a intensidade dos sinais e sintomas para ter uma melhor qualidade de vida?

DRA. JAQUELINE BARROS LOPES – sim, combater os fatores de risco modificáveis como a obesidade, o sedentarismo, o tabagismo e manter uma alimentação saudável.

Dra Jaqueline Barros Lopes

A Dra. Jaqueline Barros Lopes é graduada em medicina pela Universidade Federal de Mato Grosso. Fez residência em clínica médica no Hospital Universitário Júlio Müller (FCM-UFMT) e em reumatologia no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP). Concluiu doutorado na área de reumatologia pela FMUSP. Atua como diretora Regional São Paulo da Cobra Reumatologia e coordenadora de reumatologia do Hospital Leforte Morumbi.

Este conteúdo é meramente informativo e educativo, sendo destinado para o público em geral. Ele não substitui a consulta e o aconselhamento com o médico e não deve ser utilizado para autodiagnóstico ou automedicação. Se você tiver algum problema de saúde ou dúvidas a respeito, consulte um médico. Somente ele está habilitado fazer o diagnóstico, a prescrever o tratamento mais adequado para cada caso e acompanhar a evolução do quadro de saúde do paciente.
Testemunhos

Gostaríamos de agradecer ao Dr Pierry Louys Batista, em nome de todos os pediatras, toda equipe assistencial, de atendimento, segurança, higiene e do laboratório Delboni, pois percebemos que houve a verdadeira hospitalidade que todos falam, mas poucos exercem: a de fora dos livros.

Gustavo Ambrósio Tenório

Equipe de enfermagem muito bem preparada, atenta e disponível para qualquer chamado. Muito educada e cordial também, por exemplo, sempre ao entrar no quarto os enfermeiros avisavam meu pai que a luz seria acesa, não acendendo diretamente na “cara” da pessoa, que estava despreparada.

Antônio Rafael de Carvalho
banner